Nossos Insights

Conteúdos e análises sobre o que impacta seus investimentos

Setor Imobiliário: saiba mais sobre o assunto!

Ciclo do setor imobiliário: um dos mais longos que existe e com várias etapas de execução complexa!

Setor Imobiliário - Ciclo
Setor Imobiliário – Ciclo

– Ciclo desde decisão de investir até o último recebimento pode levar de 5 a 12 anos.

– Setor intensivo em capital: investimento no terreno e na construção, com retorno demorado.

– O financiamento da obra e do terreno pode ser feito com recursos próprios ou de terceiros (mais alavancagem e portanto mais risco).

– Setor extremamente cíclico: PIB do setor oscila mais que o PIB do Brasil.

– Baixa barreira de entrada: os players se diferenciam por execução!

Setor Imobiliário – PIB da Construção vs. PIB do Brasil

Na média, os players do setor de incorporação imobiliária não são muito lucrativos. Nesse sentido, o segredo dos que se destacam é a boa execução de todos os processos do ciclo.

Setor Imobiliário – Funding do setor

1 – Setor Imobiliário – Casa Verde e Amarela (antigo Minha Casa Minha Vida)

Financiamento subsidiado pelo FGTS.

Setor Imobiliário – Casa Verde e Amarela

2 – Setor Imobiliário – SBPE: Sistema Financeiro Habitacional e Sistema Financeiro Imobiliário 

Recursos provenientes da poupança.

Setor Imobiliário – SBPE

O financiamento imobiliário no Brasil nunca se desenvolveu muito, aliás, é um dos mais baixos do mundo! Reflexo das altas taxas de juros praticadas no país historicamente.

Setor Imobiliário – Financiamento Imobiliário % do PIB

Em um cenário de taxas de juros baixa e duradoura, o mercado endereçável do setor imobiliário e a acessibilidade à casa própria pode quase triplicar. Desse modo, podendo ser uma potente ferramenta para o crescimento do setor.

A construção de um empreendimento imobiliário é dividida em várias etapas complexas, traduzidas em um longo ciclo, que pode durar até 12 anos. 

A primeira etapa do ciclo é chamada de prospecção

Nessa fase são escolhidos os terrenos para o processo de aprovação junto aos órgãos regulatórios das prefeituras. Esta etapa, por si só, pode chegar a consumir dois anos. Além disso, a variação desse tempo depende da complexidade do terreno, são considerados fatores como tamanho, localização e questões ambientais. 

Próxima etapa

Na etapa seguinte é feito o lançamento do empreendimento através do aquecimento de vendas, fatores como características do produto e valores já foram decididos, e após esta etapa, é dado início à construção do empreendimento. Esse estágio é marcado pela pouca automação existente nos processos de construção.

Fim da construção

O fim da construção marca a metade do ciclo. Nesta etapa é iniciado o procedimento de repasse das unidades vendidas para os bancos. Aqui, podemos atestar a qualidade do projeto executado por meio da captação de clientes robustos. Salvo que neste ponto é onde acontece também a maior entrada de caixa no caso dos empreendimentos de media-alta renda. Quando o empreendimento é considerado saudável, estima-se que cerca de 5-10% das unidades ficam remanescentes, começando então o procedimento de venda e repasse desse estoque. 

Gerenciamento da carteira própria de financiamento

Por fim, existe a etapa de gerenciamento da carteira própria de financiamento (alienação fiduciária ou pro-soluto), além do período de garantia dos empreendimentos (dura cerca de 5 anos). 

Ademais, outro ponto de atenção na hora de analisar os players do setor, é entender que ele tem uma baixa barreira de entrada, e que é altamente cíclico, com amplitudes de resultados bem maiores quando comparamos o PIB da Construção com o PIB do Brasil (imagem 2). Este comportamento cíclico deve ser contemplado nas estratégias iniciais das incorporadoras, levando em consideração que o início do empreendimento pode acontecer em um momento de expansão da economia e a etapa de repasse em um momento de contração. Por isso, é sempre muito importante as empresas terem uma estrutura de capital bastante conservadora!

Em suma, entender sobre o mercado imobiliário é também entender como funciona o financiamento do setor. Atualmente, o financiamento no Brasil se dá por duas vias: 

1) Pelo programa Casa Verde e Amarela (antigo Minha Casa Minha Vida)

Que contempla famílias com renda mensal de até R$ 7000. 

2) Através do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo)

Que utiliza parte do recursos captados nas aplicações em cadernetas de poupança. 

Nosso sistema de financiamento pouco desenvolvido coloca o Brasil em uma das últimas posições no ranking de Financiamento Imobiliário x % PIB. São poucas as possibilidades apresentadas ao consumidor final quanto ao financiamento. Por conseguinte, esta é uma barreira que atrasa o desenvolvimento do setor e faz com que muitas vezes as empresas ofereçam financiamento direto ao cliente, por meio de seus balanços. Em um cenário de taxas de juros baixas de forma duradoura, o acesso ao crédito imobiliário chega quase a triplicar de alcance, podendo ser uma potente ferramenta para o crescimento do setor.

E você, como enxerga o futuro do setor imobiliário?

Leia também:

ESG: qual é o impacto social nos investimentos?
Vantagens competitivas
Como se formam as bolhas de preços no mercado de ações?

Os comentários estão desativados.

Quer investir
ou tem alguma dúvida?

Entre em contato

Rua Funchal
n. 375 • Conjuntos 151 e 152
CEP. 04551-060
Vila Olímpia
São Paulo

Ver mapa no google
ANBIMA
Como Investir