Termos e Condições do Website

Termos e Condições sobre o Conteúdo e Acesso ao Website

• Este site foi desenvolvido pela Equitas Administração de Fundos de Investimentos LTDA. (“Equitas”) e tem caráter meramente informativo e não deve ser entendido como oferta, recomendação ou análise de investimento ou ativo, nem tampouco constitui uma oferta de serviço pela Equitas e nem venda de cotas dos fundos por ela geridos.

• Apesar do cuidado na obtenção e manuseio das informações apresentadas, a Equitas não declara ou garante a integridade, confiabilidade ou exatidão das informações, eximindo-se de quaisquer responsabilidades por prejuízos diretos ou indiretos que venham a ocorrer, nem tampouco por decisões de investimento tomadas com base nas informações contidas neste site, as quais podem inclusive serem modificadas sem comunicação.

• Antes de investir, seguem algumas informações importantes:

a. Recomendamos ao investidor a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento, do formulário de informações complementares e da lâmina de informações essenciais antes de realizar investimentos, sobretudo sobre os aspectos de risco relacionados ao investimento.

b. Fundos de Investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos – FGC.

c. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Para avaliação da performance de quaisquer fundos de investimentos, é recomendável uma análise de período de, no mínimo, 12 (doze) meses. A rentabilidade divulgada não é liquida de Impostos.

d. Os fundos de investimento utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de suas políticas de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em significativas perdas patrimoniais para seus cotistas, podendo inclusive acarretar perdas superiores ao capital aplicado e a consequente obrigação do cotista de aportar recursos adicionais para cobrir o prejuízo do fundo.

e. Alguns dos fundos expostos estão autorizados a realizar aplicações em ativos financeiros no exterior. Os fundos de ações podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes.

• O conteúdo deste website não pode ser copiado, reproduzido, publicado, retransmitido ou distribuído, no todo ou em parte, por qualquer meio e modo, sem a prévia e expressa autorização, por escrito, da Equitas através de seus representantes.

Ao continuar, declaro que:

• Li e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade.

• Entendo e concordo que a Equitas poderá coletar e armazenar meus dados pessoais.

• Estou ciente que para obter informações sobre os meus dados, devo entrar em contato através do canal Proteção de Dados ([email protected]).

E-commerce: o que você precisa saber sobre o tema - Equitas

Nossos Insights

Conteúdos e análises sobre o que impacta seus investimentos

E-commerce: o que você precisa saber sobre o tema

O tema e-commerce nunca esteve tão em alta. É raro conversar com alguém que não testou esta modalidade de compra ou que no mercado não ouviu falar sobre os grandes marketplaces brasileiros. 

O primeiro passo para compreender o funcionamento do e-commerce é compreender como funciona o setor de varejo e o que classifica uma empresa como varejista. Segundo Juracy Parentes, o varejo deve atender a uma necessidade pessoal do consumidor final, seja por meio da venda de um produto ou de um serviço. Atualmente, no Brasil, não existe uma subcategoria de classificação específica para o “varejo”, as empresas com capital aberto em bolsa estão contidas em uma classificação mais abrangente chamada “Consumo”. Contudo, nem toda empresa de consumo é uma empresa de varejo.

As análises no setor de varejo têm sofrido mudanças de abordagens incentivadas pela mudança de comportamento dos consumidores, mudanças demográficas e implementação de novas tecnologias. O que evidencia três pilares importantes para obter destaque nesse setor, que é intenso em concorrência e sensível a mudanças na economia, são a capacidade de conversão de vendas, as boas estratégias de logística e a automatização dos processos.

A chegada e consolidação do e-commerce expandiu as possibilidades das varejistas. Hoje, observamos que as empresas têm se empenhado cada vez mais em expandir os canais de venda para ambientes digitais. Com o cenário de pandemia em 2020, a taxa de penetração do e-commerce deu um salto, revelando-se um setor com claro potencial de crescimento. 

Faturamento e-commerce e penetração
Faturamento e-commerce e penetração

O mesmo movimento é observado em outros países. Apesar do crescimento recente, no comparativo com o restante do mundo, fica claro que o Brasil ainda tem uma longa jornada de desenvolvimento e muito potencial de crescimento. 

Penetração por país – 2020

Analisando pela ótica de categoria de produtos, também fica evidente o potencial de crescimento do e-commerce, ainda com maior presença em itens específicos, como eletrônicos e vídeos games. Ainda não foram divulgados os dados completos referente ao ano de 2020, no qual acreditamos tem um maior desenvolvimento das demais categorias.  

Penetração do E-commerce por categoria - 2019
Penetração do E-commerce por categoria – 2019

Dessa forma, um fenômeno recente no mercado é o fortalecimento dos grandes Marketplaces do país. O modelo de negócio dos principais players é favorecido pelo efeito de rede, ou seja: quanto maior o número de usuários, maior o valor agregado do marketplace. 

E-commerce - Market Share
E-commerce – Market Share

COMO FUNCIONA O MODELO DE MARKETPLACE? (Flywheel da Amazon)

O modelo de marketplace coloca a experiência do consumidor como ponto fundamental para atração e retenção de clientes. Uma boa experiência de compra traz tráfego de usuários para o site (marketplace), que, por sua vez, atraem novos vendedores. Assim, aumentando as opções de produtos disponíveis, o que melhora a experiência do consumidor. Nesse sentido, com o crescimento gerado por esse ciclo, o marketplace ganha mais escala e seus custos fixos são diluídos, beneficiando o cliente final.

Como funciona o modelo de market place
Como funciona o modelo de marketplace (Flywheel da Amazon)

Contudo, apesar da predominância do modelo Marketplace no Brasil, observamos que existe uma tendência em outros países, de grandes marcas recorrerem a players de nicho ou a uma plataforma própria (DTC: Direct To Consumer) para vender seus produtos em busca de uma valorização da experiência de compra. Dessa forma elas conseguem se diferenciar, esquivando-se dos marketplaces. Um exemplo claro desse movimento aconteceu em 2019 nos EUA, quando a Nike interrompeu a venda de seus produtos na Amazon. Sua nova estratégia passou a focar em poucos parceiros varejistas, que ofereçam a melhor experiência de compra para o cliente, e de vender através da sua própria plataforma de e-commerce.

Atualmente, no Brasil, observamos uma caminhada longa a ser percorrida pelo comércio eletrônico. Em um cenário futuro, é possível prever o contínuo fortalecimento do e-commerce, impulsionado pela possibilidade de permitir que o consumidor faça compras de maneira ágil, sem a necessidade de deslocamento. Por fim, acreditamos que o domínio do mercado fique por conta dos marketplaces – que valorizam a experiência do consumidor -, players de nicho e marcas fortes. 

Leia também:

As vantagens de investir em fundo de Previdência Privada 
Venture Capital: entenda sobre o assunto!
Setor Imobiliário: saiba mais sobre o assunto!

Os comentários estão desativados.

Quer investir
ou tem alguma dúvida?

Entre em contato

Rua Funchal
n. 375 • Conjuntos 151 e 152
CEP. 04551-060
Vila Olímpia
São Paulo

Ver mapa no google
ANBIMA
Como Investir